Fone: (11) 3242-8111 Fax: (11) 3112-0554 | Endereço: Rua Libero Badaró, 158 - 6º andar - São Paulo - SP

HOSPITAL DO GRAACC COMPLETA 26 ANOS EM NOVEMBRO
07/11/2018

Referência no tratamento e pesquisa do câncer infantojuvenil na América Latina, o GRAACC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, é uma instituição sem fins lucrativos mantida principalmente, de doações de pessoas físicas e empresas parceiras. Há 25 anos a entidade aprimora sua capacidade de atendimento para proporcionar tratamento com qualidade de vida aos pacientes, 90% provindos do Sistema Único de Saúde (SUS).

O GRAACC foi criado em 1991, atendendo em uma casa dentro do conceito hospital-dia, no qual os pacientes recebiam assistência e voltavam para as suas residências. Em 1998, a instituição inaugurou um hospital, o Instituto de Oncologia Pediátrica – IOP, unidade administrada pelo GRAACC com parceria técnico-científica com a Unifesp – Universidade Federal de São Paulo. Localizado na Pedro de Toledo, 572, com 11 andares em uma área de 4.200 m2, trata-se de um Centro de Referência no tratamento câncer infantojuvenil, atendendo crianças e adolescentes de todo o Brasil – 40% deles vêm de fora da capital paulista.

Dos equipamentos à equipe médica, o paciente que passa pelo hospital do GRAACC tem à disposição a mais alta tecnologia e uma excelente infraestrutura. Só em 2016, o Hospital realizou mais de 30 mil consultas, 1,9 mil procedimentos cirúrgicos, mais de 50 transplantes de medula óssea e mais de 19 mil sessões de quimioterapia. Com um orçamento estimado em R$ 117 milhões para 2017, a instituição proporcionará aos pacientes o mais especializado tratamento de retinoblastoma – tumor na retina. Mais de seis mil e quinhentas crianças e adolescentes já foram assistidos pela instituição – especializada em casos de alta complexidade, como tumores do sistema nervoso central, ósseos, leucemias e outras neoplasias que necessitam de transplante.

A maior parte dos pacientes do GRAACC encontra-se na faixa etária de 0 a 10 anos, apresentando o câncer no Sistema Nervoso Central, onde a incidência costuma se manifestar com mais frequência, seguido pela Leucemia. O Hospital recebe, em média, mais de 300 novos pacientes com câncer de alta complexidade por ano, com chance média de cura de 70%.

O Hospital segue em expansão e a previsão é de construção de mais um anexo nos próximos anos.

Manutenção de recursos
Mais de 90% dos recursos do GRAACC provém de doações de pessoas físicas. Por meio de ações que acontecem todos os anos, a instituição consegue arrecadar fundos para a manutenção do hospital. Dentre as diversas formas de ajudar o GRAACC, estão os projetos ligados a fundos de incentivo fiscal, como o FUMCAD, Pronon e Pronas, além de ações de entretenimento como jantares, corridas e shows que, além de proporcionarem às pessoas momentos de diversão, ajudam no combate do câncer infantil.

Certificação
Desde abril de 2017 o Hospital do GRAACC tem o selo da Joint Commission International (JCI) de acreditação hospitalar, demonstrando reconhecimento de conformidade contínua com padrões internacionais.  O processo demonstra a qualidade e o compromisso da organização com a prestação de cuidados seguros e eficazes do paciente.
Dos cerca de 6 mil hospitais brasileiros apenas 33 deles são acreditados e o Hospital do GRAACC é o primeiro centro médico especializado em oncologia pediátrica no Brasil a receber a certificação

Parcerias
O sucesso do GRAACC se deve, sobretudo, às consistentes parcerias que estabeleceu ao longo dos anos: com a Unifesp, que dá o suporte técnico e científico e garante o conhecimento, ensino e pesquisa; os empresários, que participam da gestão e do financiamento; a sociedade civil (milhares de pessoas fazem doações para o GRAACC mensalmente) e os mais de 500 voluntários que atuam em 22 setores além de outras centenas de voluntários que trabalham em eventos pontuais de mobilização para a causa e captação de recursos financeiros, certificado com a ISO 9001, renovada a cada 3 anos pelo ABS Quality Evaluation – QE, um dos líderes mundiais em certificação.
Anualmente, o GRAACC é auditado pela Ernst & Young – EY.

Pesquisas
A instituição tornou-se referência em ensino e no desenvolvimento de pesquisas clínicas, cirúrgicas e biológicas do câncer infantil, sempre com o objetivo de aumentar o índice de cura e contando com a parceria e suporte técnico-científico da Unifesp. Visando sempre o futuro da medicina, que será cada vez mais individualizada, os dirigentes do GRAACC têm relações estreitas e permanentes com o hospital internacional St. Jude (www.stjude.org), em Memphis, nos Estados Unidos, reconhecido por suas descobertas na área. O St. Jude compartilha com a comunidade científica e médica do GRAACC seus avanços em pesquisas de novos medicamentos e métodos laboratoriais.

A instituição realiza estudos com parceiros nacionais e internacionais. A equipe da área é composta por médicos, monitores, coordenadores e estagiários. O objetivo é que as pesquisas dêem acesso precoce a terapias inovadoras e possibilitem melhorar ainda mais o atendimento, tornando-se importante benefício para o tratamento do câncer infantil.

O GRAACC possui um banco de dados com pacientes sobre pesquisas e descobertas do osteossarcoma (um tipo de tumor ósseo), responsável por 12% dos casos do hospital. Reconhecido pelo seu trabalho na evolução do tratamento do osteossarcoma, o GRAACC recebeu o Prêmio Saúde 2006 e 2010, categoria Saúde da Criança e Instituição do Ano, da Revista Saúde. Pelo trabalho de pesquisa sobre craniofaringioma, um tumor no cérebro, recebeu o prêmio A.J. Raimondi ISPN, da International Society of Pediatric Neurosurgery, Inglaterra, em 2007. Em 2008 e 2010, foi reconhecido com o maior prêmio em oncologia pediátrica do País, o  Rhomes Aur.

Tratamento e Pós-tratamento

O GRAACC tem uma equipe multidisciplinar que une esforços para aprimorar continuamente os serviços prestados aos pacientes e familiares, humanizando o atendimento hospitalar e oferecendo tratamento integral, como forma de manter a adesão ao tratamento e minimizar os efeitos tardios da doença. Dentro do suporte oferecido, estão: reabilitação, psicologia, odontologia, nutrição, enfermagem, terapia ocupacional, farmácia e serviço social.

Assim que diagnosticada a doença, o primeiro atendimento que a família do paciente recebe é do serviço social do GRAACC, que esclarece todos os direitos do paciente (transporte público gratuito, resgate do fundo de garantia, entre outros). Esse serviço desenvolve projetos que trazem benefícios a seus pacientes: Clínica da Dor, acompanhamento constante da dor durante o tratamento; Projeto Perna Amiga, junto com empresas parceiras, faz doações de próteses; e Projeto Profissionalizante, de encaminhamento profissional dos ex-pacientes, entre outros.

 

O hospital tem um moderno Centro de Diagnóstico por Imagem, com equipamentos de alta tecnologia como ressonância magnética, tomografia computadorizada, densitometria óssea, ultrassom com doppler e raio X. Inaugurou ano passado o centro cirúrgico especializado em neuro-oncologia pediátrica. O primeiro da América Latina a oferecer no mesmo ambiente da cirurgia o exame de ressonância, possibilitando maior agilidade no processo e menor risco de infecções aos pacientes.

Outro projeto do GRAACC é a Formação e Intervenção de Aprimorando em Pedagogia Hospitalar, que tem o objetivo de formar professores especializados em pedagogia hospitalar para atuar em classes hospitalares dentro da rede pública ou em projetos de hospitais. Esse treinamento e capacitação profissional buscam multiplicar conhecimento e promover impacto na assistência à saúde do País.

Também dentro da filosofia de tratamento integral, o GRAACC criou a Clínica Multiprofissional de Atendimento aos Pacientes Fora de Tratamento – CForT, que dá apoio multidisciplinar aos pacientes (fora de tratamento há no mínimo 2 anos).

Após o tratamento, quando o paciente volta ao hospital para exames de rotina, ele passa por diversas áreas, recebendo atendimento completo, com o intuito de prevenir efeitos tardios, sejam eles físicos ou emocionais. O projeto é sustentado por três pilares: reinserção do paciente à sociedade, trabalho emocional com as famílias e lembranças do tratamento (traumas). Um dos principais objetivos da CForT é mudar o quadro de vitimização do paciente, na tentativa de mostrar que ele tem condições de levar uma vida normal.

Em parceria com o Instituto Ronald McDonald, o GRAACC oferece acomodação na Casa Ronald McDonald São Paulo Moema aos pacientes de cidades distantes da capital paulista que não têm onde ficar durante o tratamento. A área possui 2.200 m² e 30suítes, sendo cada uma exclusiva para o paciente e sua acompanhante, além de salas de estar e de refeição, cozinha equipada, lavanderia, jardins, brinquedoteca, adoleteca e sala de TV, tudo para garantir conforto e qualidade de vida aos atendidos.

Humanização
Em 2004, o GRAACC inaugurou, em parceria com a Fundação Orsa, a primeira quimioteca do Brasil, espaço lúdico criado para garantir à criança e ao adolescente bem-estar em uma das fases mais traumáticas do tratamento do câncer: o tratamento quimioterápico. Com 300 m2, divididos de acordo com a faixa etária dos pacientes, o espaço disponibiliza 31 postos, garantindo atendimento individualizado, duas salas de coleta de sangue e sala especial para pacientes transplantados.

Além disso, o hospital do GRAACC possui a Brinquedoteca Terapêutica Senninha, uma das primeiras do país em hospitais, na qual crianças e adolescentes aproveitam para brincar enquanto aguardam uma consulta, um exame ou algum procedimento médico.

O GRAACC inovou, ainda, com o projeto Escola Móvel que, desde 2000, tem proporcionando aos pacientes um ensino de qualidade com atendimento individual e personalizado, seguindo a grade curricular da escola de origem da criança, para garantir que não fique defasada em relação aos colegas da mesma turma e idade que freqüentam aulas fora do hospital. A iniciativa é reconhecida pelo Ministério da Educação e cultura (MEC) e segue a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

História
A iniciativa da organização foi do Dr. Sérgio Petrilli, então chefe do setor de Oncologia do Departamento de Pediatria da Escola Paulista de Medicina; Jacinto Antonio Guidolin, engenheiro, e da voluntária Lea Della Casa Mingione. Tudo começou com a transferência do Setor de Oncologia Pediátrica do Hospital São Paulo para uma casa, com atendimento dentro do conceito hospital-dia, no qual os pacientes recebiam atendimento médico e assistencial e voltavam para suas casas.

O constante trabalho na luta contra o câncer infantil e por resultados positivos convenceram colaboradores e idealizadores de que muito mais poderia ser feito. A mobilização do setor privado e de outras organizações resultou, em 1998, na inauguração do hospital do GRAACC. O hospital é totalmente equipado e dispõe de área de internação (enfermarias, UTI e centro cirúrgico), laboratórios (hematologia e imunofenotipagem, citogenética, biologia melocular e criopreservação) e de suporte (reabilitação e prótese, controle da dor, brinquedoteca terapêutica e assistência social), além de área de nutrição, psicologia, enfermagem, odontologia e assistência social.

Sobre o GRAACC

Referência no tratamento e pesquisa do câncer infantojuvenil na América Latina, principalmente em casos de alta complexidade, e uma das mais respeitadas e bem-sucedidas instituições do País, o GRAACC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, criado em 1991, tem a missão de garantir a crianças e adolescentes com câncer todas as chances de cura com qualidade de vida. A organização é reconhecida pelos expressivos resultados obtidos na cura do câncer infantil, alcançando índices de cerca de 70%. O GRAACC tem um hospital próprio que, em parceria técnico-científica com a UNIFESP, realiza mais de 30 mil consultas, 1,9 mil procedimentos cirúrgicos e 19 mil sessões de quimioterapia anualmente. Com um orçamento de R$ 117 milhões previsto para 2017, atende em média 3 mil crianças e adolescentes por ano. Informações no www.graacc.org.br.


Fonte: Perspectiva Comunicação